segunda-feira, 14 de setembro de 2015

O contrabandista de Deus

Olá! Estou trazendo mais uma resenha de um livro, e por sinal um livro TOP! A cada capítulo lágrimas rolava no meu rosto. Talvez você ache grande a postagem, mas vale a pena conhecer um pouco dessa leitura e vale muito mais ler o livro. SUPER INDICO!            
O contrabandista de Deus é a biografia de um missionário e conta a história verídica do irmão André, fundador do Portas Abertas. Esse é um relato que fortalece a nossa fé, nos encoraja, aumenta a nossa visão do Reino, ensina a praticar o amor e sobre a confiança em Deus. É um testemunho emocionante, cheio de amor pela Igreja Perseguida e aos irmãos que viviam sob a repressão do comunismo. Uma obra cheia de coragem, fé e ousadia, que certamente inspira e desafia nossas vidas a sermos cristãos fiéis e zelosos mesmo sob situações difíceis.
Irmão André é Holandês, filho de um ferreiro. No primeiro capítulo nos vemos que quando criança o irmão André gostava de brincar, imaginando ser um espião em território inimigo, gostava de fazer travessuras com os vizinhos, de fugir da igreja enquanto acontecia o culto. Ele sonhava com feitos heroicos e o mais interessante é que futuramente ele se tornaria um agente secreto, com a missão de levar Bíblias para outros cristãos que sofriam com o regime comunista.
No final da guerra, aos 17 anos, seu pai achava necessário que ele tivesse um emprego. Seu pai perguntou se ele desejava trabalhar como ferreiro ou mecânico. E disse: “Está na hora de você escolher uma profissão André”. Porém, ele optou por ingressar no exercito. Ele era ousado, havia se tornado um soldado inexorável, gostava de aventuras, mas, a crueldade da guerra não lhe proporcionou a aventura que imaginava. Durante a Guerra caiu em uma emboscada, levou um tiro no tornozelo. De fato, Deus tem seus meios e propósito, durante sua recuperação na enfermaria, resolveu ler a Bíblia e sua vida começou a ser submetida a Cristo. Ele percebeu que precisava da intervenção de Deus em sua vida, então se rendeu, entregou-se a Deus – corpo, alma e aventura. Sua oração foi essa: “Senhor, se mostrares o caminho, eu o seguirei. Amém”.
No capítulo cinco, inicia-se o passo do sim. Irmão André relata sua alegria e desejo de compartilhar com alguém. Foi até os Whetstra contar, eles se alegraram juntos. O ardor missionário estava queimando em seu coração. André começou a trabalhar na fábrica Ringers, lá era uma grande oportunidade de falar de Cristo, ele vê um terreno fértil para o evangelismo e assim começa a comunicar as boas novas de salvação.
Em sua preparação missiológica o irmão André enfrentou dificuldades, contudo não desistiu. Ele foi convidado para um festival na Polônia, lá ele conhece pessoas que professavam da mesma fé, mas que sofriam perseguição devido ao regime comunista. A partir daquele dia, ele passa a ser conhecido como o contrabandista de Deus, por causa de suas aventuras levando Bíblias para lugares onde não era permitido.
Em cada história relatando suas experiências por trás da Cortina de Ferro, podemos aprender a cerca da dependência de Deus. Apesar da dificuldade de cristãos entrarem em países que sofrem com a perseguição, irmão André tinha consciência da Onipotência de Deus, para Ele não haveria impossível. Atravessava a fronteira dos países, com a mala do seu fusca cheio de Bíblias, folhetos e pregando a palavra de Deus. Algumas vezes parado por guardas e ele orava: “Senhor, na minha bagagem há Escrituras que desejo levar para os teus filhos, que estão do outro lado desta fronteira. Quando estiveste na terra, fizeste os olhos dos cegos ver. Agora eu peço: faze com que os olhos desses que vêem fiquem cegos. Não deixes os guardas verem as coisas que tu não queres que eles vejam”. Sua oração era atendida, os guardas abriam a mala e não notavam as Bíblias, ele seguia viagem tranquilo.
Esse livro é um desafio para cada Cristão, pois em pleno século 21, ainda existem pessoas que nunca ouviram falar de Jesus e que sofrem perseguição pelo fato de seguir a Cristo. Por outro lado, aqui no Brasil temos toda liberdade e muitas vezes não aproveitamos as oportunidades que temos de compartilhar as Boas Novas. O irmão André nos ensina que sempre podemos fazer algo, nos doar, viver por aquilo que é eterno, que Deus cuida de nós, que não era pela força do braço dele, mas sim do Senhor, para mostrar que quem operava todas as maravilhas era Deus.


4 comentários:

Lucinalva disse...

Olá Tarcinha
Gostei da resenha deste livro, muito edificante. Lindo testemunho. Bjs

Anônimo disse...

Boa Noite Tarci
Ótima resenha, realmente uma história de vida e dedicação genuína e comovente ao próximo;Além de cumprir com o IDE do Senhor Jesus! Bjs Andréa

Anônimo disse...

Boa Noite Tarci
Ótima resenha, realmente uma história de vida e dedicação genuína e comovente ao próximo;Além de cumprir com o IDE do Senhor Jesus! Bjs Andréa

Celina Pereira disse...

Maravilhoso o livro. Amei sua resenha, muito boa, conforme já comentaram outros visitantes.
Sinceramente, espero ler logo o livro na íntegra.
Abraço e boa semana.